Rio São Francisco: pesca é liberada após fim da piracema

Com o fim da piracema, que durou de 1º de novembro de 2016 a 28 de fevereiro deste ano, a pesca está novamente liberada no Rio São Francisco. Este ano, as apreensões por captura irregular durante o período foram menores, em comparação com anos anteriores, de acordo com dados do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama). Apesar do fim do período de proibição da pesca, o pescador deve estar atento aos tamanhos mínimos da malha de rede e do peixe.

De acordo com o engenheiro de pesca e analista do Ibama, Wanderley Pinheiro, houve uma redução de quase 50% na quantidade de rede apreendida, em comparação ao período de Defeso anterior. “Na região do São Francisco na Bahia, apreendemos 18.350 metros de rede, neste período de Defeso. Além disso, um pecador foi autuado. No Defeso anterior, foram 30 mil metros de rede e seis pescadores”, ressaltou.

Em toda a região do São Francisco coberta pelo Seguro Defeso da piracema, que compreende Goiás, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas e Distrito Federal, foram apreendidos cerca de 40 mil metros de rede, segundo dados do Ibama. A redução representa uma queda de 50%, com relação aos períodos anteriores. “Essa queda no número de apreensões demonstra a conscientização do pescador às questões ambientais. O Governo deve valorizar isso e definir de uma vez os problemas que afetam o Seguro Defeso, benefício essencial para a preservação das espécies e para a subsistência do pescador artesanal”, pontuou o presidente da Federação dos Pescadores e Aquicultores do Estado da Bahia (Fepesba), Raimundo Costa.

Apesar da liberação da pesca no leito do rio São Francisco, o pescador deve permanecer atento aos tamanhos mínimos da malha de rede, que deve ter abertura mínima de 140 mm, e do peixe, que varia de acordo com a espécie.

%d blogueiros gostam disto: